NASA: O lançamento tripulado do foguete Falcon 9 da Spacex


Para começar a explicar a importância desse lançamento, falemos do projeto em si. Esta, de acordo com o The Verge, é a última grande participação da SpaceX como parte do Programa de Tripulação Comercial da NASA (NASA’s Commercial Crew Program) - iniciativa que levou empresas privadas (SpaceX e Boeing) a criarem naves espaciais capazes de transportar astronautas até a ISS.

Como mencionado na introdução, a criação da SpaceX para esse programa foi a Crew Dragon (versão evoluída da sonda Cargo Dragon), enviada ao espaço pela primeira vez no início do ano passado, mas sem pessoas. O lançamento foi chamado de Demo-1 e levou manequins, vestidos em trajes espaciais, e cargas simulando o peso de uma tripulação. Abaixo, você pode conhecer o interior e configuração da cápsula Crew Dragon:

A SpaceX passou os últimos seis anos trabalhando para chegar a esse ponto, a missão Demo-2. Do outro lado, a Nasa pagou US$ 3,14 bilhões para a empresa desenvolver e pilotar o Crew Dragon. Claro, houveram alguns contratempos a serem superados - como falhas de foguetes e a explosão de uma cápsula do Crew Dragon durante um teste em solo. Mas, agora, a empresa está confiante em entregar um veículo mais seguro para os astronautas. Dentro das paredes externas do Crew Dragon, existem pequenos propulsores chamados de motores SuperDraco, projetados para serem ativados durante qualquer ponto do voo, caso algo dê MUITO errado.

INDEPENDÊNCIA ESPACIAL DOS ESTADOS UNIDOS

Em um contexto mais amplo, como mencionado anteriormente, o lançamento tripulado da Crew Dragon também representa um grande passo para a independência espacial dos Estados Unidos. Para explicar melhor: os EUA, desde julho de 2011, não realizou lançamentos espaciais a partir do seu território nem teve uma tripulação totalmente estadunidense em órbita. Desde essa época (que marcou o último voo do Ônibus Espacial da Nasa), a agência levou todos os seus profissionais astronautas até a Estação Espacial Internacional através da cápsula russa da Soyuz. Esta medida seria a única opção para levar as pessoas à ISS, e custa cerca de US$ 80 milhões por assento para a Nasa. A agência espera pagar US$ 55 milhões por astronauta para voar com o Crew Dragon e, com o sucesso da missão, recuperar seu prestígio relacionado à exploração espacial.

Ainda em soloAssim como na primeira vez, o lançamento da Crew Dragon será impulsionado por um foguete Falcon 9 a partir do Complexo de Lançamento 39A, no Kennedy Space Center da Nasa, em Cape Canaveral, Flórida. A SpaceX tem alugado o complexo desde 2014 e o transformou para realizar os vôos dos foguetes Falcon 9 e Falcon Heavy. Os astronautas chegam à plataforma por volta das 13:00h ET (14:00h no horário de Brasília) - e, como tem dedo de Elon Musk na história, eles irão até lá em um Tesla Model X branco, adornado com vários logotipos da Nasa. Mesmo que considerado arriscado por algumas pessoas da comunidade aeroespacial, a SpaceX opta por abastecer o foguete cerca de meia hora antes do lançamento, depois que a tripulação já estiver a bordo. Os astronautas se acomodarão em seus assentos com duas horas e meia de antecedência.

Com tudo organizado e abastecido, a decolagem deve começar exatamente às 16h33 (17h33 no horário de Brasília) - ou o evento será adiado, devido a contratempos climáticos, para a "data backup", atualmente definida para 30 de maio às 15h22 (16h22 no horário de Brasília).

EM ÓRBITA

Novamente, caso o lançamento ocorra como o planejado, os astronautas estarão na órbita baixa da Terra em cerca de 12 minutos após o lançamento. Nas próximas 19 horas, a cápsula orbitará o planeta azul, elevando-se levemente até chegar na Estação Espacial Internacional. Quando os astronautas estiverem perto da ISS, o sistema automático da Crew Dragon entrará em ação, usando uma série de sensores e câmeras até se conectar a uma porta de ancoragem aberta. A Crew Dragon foi projetada para exigir o mínimo de seus passageiros, mas, como se trata de um voo experimental, Hurley e Behnken farão alguns vôos manuais antes de chegarem à estação espacial.

O encaixe deve ocorrer às 11h29 (12h29 no horário de Brasília) na quinta-feira, 28 de maio. Lembremos aqui que a ISS e o Crew Dragon estarão se movendo a dezenas de milhares de quilômetros por hora.

O RETORNO

Originalmente, a Nasa planejava manter os astronautas na estação espacial por apenas algumas semanas. Porém, devido aos atrasos do desenvolvimento das naves, do programa espacial em si e da situação de "aluguel limitado" no foguete Soyuz, a agência decidiu prolongar a permanência de Behnken e Hurley a fim de manter uma equipe maior na ISS. Para ter uma pequena noção dos adiamentos, os primeiros vôos tripulados deveriam ter ocorrido em 2017.

Assim, a agência espacial dos EUA diz que tomará a decisão sobre a data de retorno da tripulação enquanto os dois astronautas estiverem no espaço. Mas, como o The Verge também lembra, o Crew Dragon só pode ficar no espaço por cerca de quatro meses. A fina atmosfera no espaço degrada os painéis solares da nave ao longo do tempo, limitando a vida útil do veículo em órbita.

Para ser exato, a duração da missão Demo-2 está atualmente definida entre 30 a 119 dias. A Crew Dragon será capaz de permanecer no espaço por pelo menos 210 dias.

ASTRONAUTAS

Os dois escolhidos para o lançamento Demo-2 da Crew Dragon são os astronautas veteranos Bob Behnken e Doug Hurley. Ambos foram designados para essa missão em 2018 e passaram os últimos dois anos treinando para o dia de hoje. Eles estão entre os membros mais experientes da equipe de astronautas da Nasa.

Behnken e Hurley tem 49 e 53 anos, respectivamente, e são astronautas desde que foram selecionados na classe de 2000. Ambos também são veteranos militares e voaram em duas missões do Ônibus Espacial - destaque para Hurley, que estava na última missão da espaçonave, em julho de 2011.

Hurley já passou 28 dias e 11 horas no espaço, e Behnken soma 29 dias e 12 horas, incluindo 37 horas de caminhada espacial fora da nave ou estação.

Para esta missão histórica, Behnken é o comandante de operações conjuntas: chegar e atracar na ISS, por exemplo. Já Hurley é o comandante da espaçonave e será responsável pelo lançamento, pouso e recuperação da Crew Dragon.

PRÓXIMO PASSO

Assim que os dois astronautas estadunidenses voltarem para a Terra, em algum momento do final do ano, e tudo tiver sido um sucesso, a Nasa já estará preparando as viagens de rotina para a ISS. A próxima missão totalmente operacional da Crew Dragon está planejada para daqui a alguns meses. com o dobro da tripulação: os astronautas da Nasa Victor Glover, Mike Hopkins e Shannon Walker, além do astronauta japonês Soichi Noguchi. A sonda foi projetada para transportar até sete pessoas.

A partir desse momento, estamos olhando para uma possível grande mudança na história aeroespacial mundial, assim como para o futuro do programa e turismo espacial dos EUA.

A NASA transmitirá 24 horas de cobertura ao vivo do SpaceX Demo-2. O stream começou quatro horas antes da decolagem e continuará até a espaçonave atracar na Estação Espacial Internacional, amanhã.

Fonte: OXMAN

Conheça OXMAN TV

#homemaranhaoxmantv #homemaranha #oxmantv #bullae #flacon9 #spacex #oxmanspacex #oxmanspace #oxmannasa

  • icone ATENDIMENTO
  • Área de Cobertura Oxfiber
  • icone blog
  • Parler-Logo_edited
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Branca ícone do YouTube